Richard Dawkins: Por que eu me recuso a Debate William Lane Craig

quarta-feira, 30 de novembro de 2011


Dawkins é um um ateu irritado:
Este ‘filósofo’ cristão é um defensor do genocídio. Eu prefiro deixar uma cadeira vazia do que dividir uma tribuna com ele.
Não se sinta envergonhado caso nunca tenha ouvido falar de William Lane Craig. Ele se autopromove como filósofo, mas nenhum dos professores de filosofia que consultei jamais ouviu seu nome. Talvez ele seja um ‘teólogo’. Já há algum tempo Craig tem sido cada vez mais importuno em seus esforços para me persuadir, constranger ou difamar num debate com ele. Eu tenho consistentemente recusado os convites, seguindo o espírito, se não a letra, de uma famosa réplica do então presidente da Royal society: “Isto ficaria muito bem no seu currículo, mas não tão bem assim no meu”.A última investida persecutória de Craig assumiu a forma de uma série de desafios cada vez mais intimidatórios para confrontá-lo em Oxford neste mês de outubro. Eu mais uma vez tive o prazer de recusar, o que foi o gatilho para provocar-lhe e em seus acólitos um frenesi de acusações de covardia através de blogs, twitters, canais do Youtube e fóruns de discussão online.
Que arrogância petulante! Dawkins só é famoso pela publicidade que gera por desafiar Deus. Além disso, tenham em mente seu amigo Christopher Hitchens, que já debateu com William Lane Craig, e saiu-se extremamente mal.
Em qualquer caso, não importa o que ele diz agora (ou que desculpas esfarrapadas ele use), a única coisa pela qual Dawkins vai ser lembrado no caso é, de fato, por sua covardia. Covardia com raiva...

1 comentários:

IMPORT disse...

ISSO QUE DÁ BIÓLOGO QUERER FALAR O QUE NÃO SABE.AE DEPOIS ACHA QUEM SABE FICA CAGANDO DE MEDO

Postar um comentário