Isaías 65, 17-21

segunda-feira, 4 de abril de 2011

Pois eis que crio novos céus e uma nova terra; e não haverá recordação das coisas anteriores, nem subirão ao coração. Mas exultai e jubilai para todo o sempre naquilo que estou criando. Pois eis que crio Jerusalém como causa para júbilo e seu povo como causa para exultação. E eu vou jubilar em Jerusalém e exultar pelo meu povo; e não se ouvirá mais nela o som de choro, nem o som dum clamor de queixume.”
“Não virá a haver mais um nenê de poucos dias procedente daquele lugar, nem ancião que não tenha cumprido os seus dias; pois morrer-se-á como mero rapaz, embora da idade de cem anos; e quanto ao pecador, embora tenha cem anos de idade, invocar-se-á sobre ele o mal. E hão de construir casas e [as] ocuparão; e hão de plantar vinhedos e comer os [seus] frutos.
Antes de lê-lo, fixe a mente nas circunstâncias — quando esta matéria foi escrita e de que situação tratava. Isaías, profeta de Deus, que escreveu essas palavras, viveu mais de um século antes de acabar o reino de Judá. O fim veio quando Deus retirou sua proteção dos judeus infiéis, permitindo que os babilônios devastassem Jerusalém e levassem seu povo ao exílio. Isto aconteceu mais de cem anos depois de Isaías predizê-lo. — 2 Crônicas 36,15-21.
Quanto ao fundo histórico do cumprimento, lembre-se de que Isaías, com a orientação de Deus, predisse o nome do persa ainda por nascer, Ciro, que finalmente derrubou Babilônia. (Isaías 45,1) Ciro preparou o caminho para os judeus retornarem à sua pátria no séc. VI a.C.. O espantoso é que Isaías predisse este restabelecimento, conforme lemos no capítulo 65. Ele destacou a situação que os israelitas usufruiriam de volta na sua pátria.
Lemos em Isaías 65:17-19:
“Eis que crio novos céus e uma nova terra; e não haverá recordação das coisas anteriores, nem subirão ao coração. Mas exultai e jubilai para todo o sempre naquilo que estou criando. Pois eis que crio Jerusalém como causa para júbilo e seu povo como causa para exultação. E eu vou jubilar em Jerusalém e exultar pelo meu povo; e não se ouvirá mais nela o som de choro, nem o som dum clamor de queixume.”
Isaías certamente descreveu condições muito melhores do que as em que os judeus haviam vivido em Babilônia. Ele predisse júbilo e alegria. Agora, veja a expressão “novos céus e uma nova terra”. Esta é a primeira de quatro ocorrências desta frase na Bíblia, e estes quatro textos podem envolver diretamente nosso futuro, até mesmo predizendo-o.

0 comentários:

Postar um comentário