Hawking continua dando de filósofo amador: "a filosofia está morta"

sábado, 17 de dezembro de 2011

Aparentemente Stephen Hawking não só pensa que a criação espontânea do nada é de alguma forma um conceito científico: ele também afirma que "a filosofia é morta" (e como escrevi em meu site, isso não é surpreendente dado o núcleo de anti-intelectualismo que espreita por trás de sua filosofia amadora).
Aqui está uma reação do Burker's Corner:
Em sua incapacidade de exercer a modéstia em sua busca do conhecimento científico, Hawking faz uma afirmação particularmente surpreendente - de que a  "filosofia está morta". De Platão e Aristóteles a Maimonides e Tomás de Aquino a Kant e Hegel, Hawking descarta como a mente humana através das culturas e milênios tem refletido sobre transcendência e lugar da humanidade em um vasto universo. A falta de humildade de Hawking  perante este empreendimento é impressionante. Em seu livro A Ausência da mente, Marilynne Robinson afirma, com razão, que esta abordagem à ciência exclui "o conjunto do empreendimento do pensamento metafísico," apesar de reflexão metafísica ser uma característica definidora da experiência humana.
 O matemático Eric Priest  também responde no The Guardian:
Como cientista, você está continuamente questionando, raramente chegando a uma resposta definitiva. As limitações de seu próprio conhecimento e experiência, juntamente com a beleza e o mistério da vida e do universo, muitas vezes o enchem com um sentimento de profunda humildade. Assim, afirmações inequívocas não fazem parte de uma busca genuína científica.

Além disso, muitas das questões que são mais importantes para nós como seres humanos não são tratadas de forma adequada pela ciência tais como a natureza da beleza, do amor e como viver a vida - muitas vezes a filosofia, a história ou teologia são mais adequadas para ajudar a respondê-las.
E aqui está a sua conclusão pragmática:
Você não pode provar se Deus existe ou não. Mas você pode perguntar se a existência ou inexistência de Deus é mais consistente com a sua experiência.
E nós realmente devemos perguntar às pessoas o que Hawking e sua laia pensam da literatura e das ciências humanas em geral. "Eu só estou interessado nas ciências duras e todo o resto é descarftável e pouco prático" não é um argumento. Ele simplesmente reflete uma orientação para as atividades que evitam as possíveis preocupações sociais o quanto possível. É o que nós associamos com ser um nerd, e em certo sentido esse tipo de bulas papais pseudo-filosóficas pela divulgadores da ciência são simplesmente a vingança final dos nerds.
Pior, eles são uma rejeição da interioridade, a rejeição da idéia de que a reflexão é um esforço que vale a pena. Nossos próprios pensamentos e sentimentos não podem ser "dados"; devemos nos concentrar apenas em objetos empíricos. É uma tentativa de matar grandes áreas de investigação, porque essas áreas de pesquisa desafiam as respostas fáceis e apontam para os limites da investigação científica. Que reduzam o seu domínio. E é importante para alguns que a) uma ciência empírica poder ser estendida a todos os domínios da investigação e que vale a pena e b) que haja uma promessa de respostas completas a todas as perguntas em algum momento no futuro da investigação científica. Esses instintos - para o absoluto dos pontos de vista determinados e com a promessa de um fim ao questionamento e, por decreto, um quadro completo do mundo - são, na verdade os instintos de religião fundamentalista. É por isso que eu vejo isso como apenas uma batalha entre fundamentalistas afirmando certeza - cuja obsessão com o seus homólogos fundamentalistas cristãos e islâmicos - e as pessoas (religiosas ou não) que querem suspender o juízo por causa de pensar sobre as coisas. Abandonar a necessidade da promessa de completude, e decretar o fim da inquirição, seria tanto uma forma mais verdadeira de ateísmo como uma forma mais verdadeira de fé.


Por: Wes Alwan
Tradução: Emerson de Oliveira

2 comentários:

Unknown disse...

autor lixo, quem você acha que eh Hawking e a laia dele? vai aprender o que eh ciência monte de lixo!

henrique cunha disse...

autor lixo, quem você acha que eh Hawking e a laia dele? vai aprender o que eh ciência monte de lixo!

Postar um comentário