As pessoas nascem homossexuais?

segunda-feira, 16 de janeiro de 2012


Um dos argumentos oferecidos por aqueles em apoio da homossexualidade, é que a homossexualidade é uma orientação em que as pessoas nascem com isso e tem o mesmo valor moral como a cor do cabelo que alguém tem no nascimento. A implicação é que uma vez que se diz que alguém nasce gay, então é normal e moralmente aceitável. A mídia parece apoiar esta idéia, e é realizada uma posição comum para justificar o comportamento. Mas há dois problemas com esta posição.

Primeiro de tudo, há uma infinidade de estudos e conclusões com resultados conflitantes de ambos os lados do argumento. No entanto, poderíamos considerar rapidamente estudos que lidam com gêmeos idênticos. Se a genética determina a orientação sexual, então deve ser manifestada ao estudar gêmeos que partilhar a mesma informação genética exata. No entanto, isso não é o caso. Considere isto ...

"... Se a influência genética for expressa nestes dados, os gêmeos MZ1 (1) devem ter a maior concordância com preferência erótica do mesmo sexo, sem envolver parentesco e meio-irmãos. A tabela 5 é baseada em pares em que pelo menos um entrevistado relata uma atração pelo mesmo sexo  (N = 527 pares) ...não há nenhuma evidência para forte influência genética  na preferência do mesmo sexo nesta amostra. Entre os gêmeos MZ , 6,7% são concordantes. Os pares DZ (2) são 7,2% concordantes. Os irmãos são 5,5% concordantes. Claramente, os índices de concordância observados não correspondem a graus de similaridade genética. Nenhuma das comparações entre os gêmeos MZ e outros na tabela 5 não são nem remotamente significantes. Se a atração romântica pelo mesmo sexo tem um componente genético, é maciçamente dominado por outros fatores. Como discutido acima, é mais provável que qualquer influência genética, se existe, só pode ser expressa em estruturas sociais específicas e circunscritas."(3) [grifo nosso]

Além disso, a informação genética que apóia a atração heterossexual é mais provável de ser passado para a prole do que a informação genética homossexual, uma vez que a prática homossexual não produz descendência. Ao que consta, como afirma o estudo, a homossexualidade não tem base genética. Portanto a homossexualidade é um comportamento aprendido e deve ser chamado de uma preferência, e não uma orientação.

Nascido desta forma e moralidade
Segundo, se nascer gay significa que a homossexualidade é moralmente aceitável, porque é natural para eles, então ela também deve ser moralmente aceitável para aqueles que nascem com uma tendência para se opor a homossexualidade. Significaria que os "heteros" não devem ser instados a mudar sua "orientação", nem devem ser ridicularizados por se opor ao homossexualismo - já que nascem desse jeito. Para ser consistente, a comunidade homossexual deve apoiar a homofobia como uma orientação sexual natural com que as pessoas nascem. Afinal, parece mais provável que a heterossexualidade é geneticamente baseada já que o comportamento heterossexual produz descendência e o comportamento homossexual não. Então, a orientação heterossexual deve ser geneticamente natural, deve ser apoiada como um comportamento normal, não deve ser ridicularizada, deve ter a proteção dos direitos civis, e ser promovida em escolas e os meios de comunicação. E os homossexuais que acusam os heteros de ser homofóbico devem ser rotulados como heterófobos. Caso contrário, o padrão duplo óbvio oferecido pela comunidade homossexual voltará a mostrar sua cara feia.

Outro problema
Além disso, para realizar a desculpa de que o homossexualismo tem base genética à sua conclusão lógica, então os homens que nascem com uma atração natural para os rapazes também devem ser considerados como tendo uma orientação sexual legítima com esta propriedade moral acompanhante. Ou devemos dizer que só a atração homossexual é genética e moralmente boa, enquanto a pedofilia não é? Em caso afirmativo, por que o duplo padrão? E, para cair ainda mais para o abismo, o que vamos fazer com aqueles que nascem com a tendência à mentira, cobiça, do ódio, e roubo? Eles não deveriam todos ser moralmente aceitáveis, já que é assim que nascem? Se não, por que não?

Conclusão
O problema de usar a genética como uma desculpa para justificar o comportamento é que qualquer que seja a tendência que pode ter nascido deve ser considerado normal. Isto inclui a mentira, a pedofilia, homossexualismo e estupro. Mas, tal inferência lógica não será aceitável para a comunidade pró-homossexual porque as estatísticas seletivas e raciocínios discriminatórios são oferecidos para justificar seu comportamento.
  • 1. Monozigóticos são gêmeos formados a partir de um único óvulo fecundado que se divide em embriões.
  • 2. Dizigóticos são gêmeos formados a partir de dois óvulos separados que não foram formados a partir do mesmo óvulo inicial.
  • 3. Primos do sexo oposto e atração pelo mesmo sexo adolescente", de Peter Bearman e Bruckner Hannah, Instituto de Pesquisa Social e Econômica e Política, 2001. http://iserp.columbia.edu/content/opposite-sex-twins-and-adolescent-same-sex-attraction

Fonte: CARM
Tradução: Emerson

1 comentários:

miriandeus disse...

Daqui a pouco vão dizer que estuprador de criança é assim por que ele nasceu com o "gene tarado", e que por isso ele não deve ser punido pelos seus atos, e que o país tem que criar leis par defendê-lo dos taradofobicos. Fala sério, né!

Postar um comentário