Sessão "Época de merd@": A Época do bom senso já passou.

quarta-feira, 4 de janeiro de 2012

>

Época pisou na bola. E ela estourou. Bem perto do meu ouvido. E eu? Fiquei bem irritado.
Não é ser pseudo-intelectual, pseudo-crítico, pseudo-ôcaralho. É a vergonha que sinto por ver uma das maiores revistas nacionais com uma capa dessas. E vou expor meus argumentos. Não faria vocês perderem tempo apenas lendo um hater.
“traduz o valor da cultura popular para todas as classes” disse Época.
Aqui vai a música:
Nossa, nossa
Assim você me mata
Ai se eu te pego, ai ai se eu te pego
Delícia, delícia
Assim você me mata
Ai se eu te pego, ai ai se eu te pego
Sábado na balada
A galera começou a dançar
E passou a menina mais linda
Tomei coragem e comecei a falar
(O resto é repetição.)
1)    Vocês podem ver. É nítido. Não vejo representação de cultura popular nenhuma. Fala-se de uma balada, de um cara idiota que repete “assim você me mata”. Típica cantada canastrona, mas sem graça, porque não está dentro de um filme pastelão.
2)    A cultura popular brasileira é riquíssima. Os grandes mestres detém dificuldade em sintetizá-la em apenas uma música, em um livro, em uma poesia. Expliquem-me como um cantor de sertanejo universitário conseguiria em 10 versos? Lembrando que alguns desses versos são apenas palavras repetidas.
3)    Rimas óbvias; Dançar/falar.
4)    Supor que essa música traduza todos os valores da cultura nacional é ridicularizar o país em que vivemos. Temos defeitos? MUITOS. E isso é óbvio em qualquer lugar. Mas não podemos negar que o Brasil detém uma cultura vasta, imensa, gigantesca. Mal explorada. Concordo. Mal estudada. Concordo. Mal repassada. Concordo. Mal apoiada. Concordo. Mas dizer que uma canção que trata de uma “balada” (palavra que eu acho ridículo e (de novo) canastrona), traduz os valores da cultura popular, é vergonhoso.
5)    A incoerência. Quem lê Época sabe que há matérias culturais excelentes. Leio, semanalmente, essa parte da revista. Por isso, não admito que eles tenham escolhido Michel Teló para ser capa da revista e muito menos; “traduzir os valores…”(enfim, vocês já sabem).
6) Como visualizar a cultura popular brasileira em todos os seus aspectos, desde o samba ao futebol, se estamos em uma balada preocupados apenas em pegar a menina mais linda?
Sinceramente, não sei o que passou na cabeça de vocês editores.
xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx
Lembretes à Época1: Não, Michel Teló não vai me pegar.
Lembretes à Época2: Não somos idiotas.
Lembretes à Época3: Os bons jornalistas devem estar com vergonha da sua revista. Porque eu estou.
Lembretes à Época4: Não tentem se justificar. Do jeito que foi exposto, não há justificativa. Há erro. A única coisa seria pedir desculpas ao Brasil. Mas eu sei que isso não acontecerá.
Lembretes à Época5: Se eu pensasse mais no post, teria ainda mais argumentos. No entanto, prefiro ir de “supetão”.



“o único lugar onde sucesso vem antes de trabalho é no dicionário” (Albert Einstein) Ah, Albert… se conhecesses os artistas de hoje [...]
Agora (quando eu comecei o texto) são 16:43 do dia 3 de janeiro. Até agora li todos os comentários postados no blog e este post vem pra responder algumas coisas que me chamaram atenção no texto sobre a capa da ÉPOCA. A ideia era responder um por um, mas os números de comentários foram absurdamente grandes e preferi fazer essa resposta geral. (Ainda assim pretendo responder a maioria).
Mas, primeiramente, gostaria de agradecer a todos aqueles que comentaram, apoiaram e divulgaram o texto (que como eu disse, foi feito às pressas). Li ideias perspicazes, pensamentos provocantes e vocês estão de parabéns! Provaram que a Época está errada. [óbvio, também agradeço imensamente aos que criticaram, pois diferente da maioria, lido muito bem com a crítica e me ajuda a expandir os horizontes. ]
Por isso resolvi responder os 5 comentários contra mais “comentados”.
1)      Por que a indignação? Que exagero…
Simples.  Entro no twitter e dou de cara com seguidores inteligentíssimos. Conheço escritores e artistas geniais. O meu país tem milhares de problemas e um deles é a mídia vendida. Mas sou daqueles que acredita que com suor conseguiremos o melhor. Portanto, no mais dramático possível; o dia que eu não me indignar com atrocidades, esse dia será o dia eu que eu parei de respirar. E assim seja com todos aqueles que também se indignaram.
2)      Época não é uma das maiores revistas.
Primeiro, quando vou falar de parâmetros técnicos eu não trabalho com subjetividade. Eu trabalho com números. Com a lógica. Pesquise número de vendas e verá. Época é uma das maiores revistas do país. Maiores. Não melhores.
3)      Michel Teló merece. É brasileiro. Honesto.
Assim como meu pai, meu vô, o Zeca da padaria, o Eulídio do jornal, o Pedro do mercado. São todos honestos, mas não ganham o dinheiro que o Michel ganha. E outro detalhe, eu não falei da PESSOA Michel Teló. Falei do CANTOR Michel Teló. E como cantor, me desculpem, é pífio.
4)      Gosto é gosto.
Claro. E por isso ninguém falou de gosto. E ninguém se focou no Michel Teló. O foco do texto foi na revista ÉPOCA e no absurdo que ela escreveu. Além disso, gosto se discute. Basta ter o tão esquecido bom senso.
5)      Essa é a nossa cultura.
Não, senhores, essa não é a nossa cultura. A nossa cultura, como eu disse no post anterior, é rica. Esquecida? Sim. Mas é rica. E não é uma questão de opinião, é uma questão factual. Basta pesquisar.
O Brasil não é isso. O Brasil é repleto de cantores, escritores, pintores, compositores, poetas fabulosos.  Usamos a arte como expressão e a arte nos fortalece. O Brasil não é o culpado. A culpada por tal bizarrice foi a revista ÉPOCA. E sim, nós, BRASILEIROS, devemos ficar p-u-t-o-s. Sabem por quê? Porque eles nos rebaixaram à pegadores de balada. E cá entre nós, Época, os pensadores dessa geração, podem até ser poucos, mas irão te surpreender.
Detalhes1: Cada vez mais acredito que tenha sido matéria comprada.
Detalhes2: Quantos artistas talentosos temos por aí que poderiam ser capa?
Detalhes3: Eu não acho que somos poucos pensadores. Acho que temos o número suficiente pra mudarmos algo. E mudaremos.
Detalhes4: De descrença, basta a geração que passou. Sejamos crentes e até utópicos.
Detalhes5: Chega dessa realidade. Nós precisamos sonhar.
.a literatura eterniza.

Fonte: http://literatortura.wordpress.com/

2 comentários:

soldados catolicos disse...

Salve Maria
Quero convida você meu irmão a participar do blog
Soldados católicos foi fundando com o objetivos de reuni todos os sites e blog católico em um lugar só em categorias. E procura sites e blogs católicos bons que não são conhecidos.
Se você se escreve as sua postagem sera divulgada por Email e pelo o Facebook e muitas pessoas poderão se interessa em ver o seu blog e assim a evangelização que já acontese seria mas divulgada esse é o objetivo do blog soldados católicos se tive interessado esconha uma categoria para o seu blog e envie um email ou um cometário esse é o link do blog.


http://ossoldadoscatolicos.blogspot.com/

e-mail para contato: soldadoscatolicos2@hotmail.com

PAZ E BEM

domvob disse...

Me uno a você quanto a indignação pela capa da revista. Nossa cultura é riquíssima e nossa música tem muita qualidade.

Michel não sei das quantas é só mais um que aparece faz sucesso com uma musiquinha safadinha e depois some.

Ele ainda tem que ralar muito para fazer parte da cultura musical deste pais.

Postar um comentário