Santa Mônica - AmericanCatholic.org

sexta-feira, 27 de agosto de 2010

As circunstâncias da vida de Santa Mônica poderia ter feito dela uma esposa ranzinza , uma nora amarga e desesperada, mas ela não cedeu a qualquer uma dessas tentações. Embora fosse cristã, seus pais lhe deram em casamento a um pagão, Patrício, que viveu em sua cidade natal, Tagaste, no Norte de África . Patrício tinha algumas características boas, mas ele tinha um temperamento violento e era licencioso. Mônica também teve de suportar com uma intratável sogra que vivia em sua casa. Patrício criticou sua esposa por causa de sua caridade e piedade , mas sempre a respeitava. As orações e exemplo de Mônica finalmente ganharam seu marido e sogra para o cristianismo. Seu marido morreu em 371, um ano após o seu batismo .

Monica tinha pelo menos três filhos que sobreviveram à infância. O mais velho, Agostinho, é o mais famoso . No momento da morte de seu pai , Agostinho tinha 17 anos e era um estudante de retórica em Cartago. Mônica estava angustiada ao saber que seu filho tinha aceitado a heresia maniqueísta e estava vivendo uma vida imoral. Por um tempo, ela se recusou a deixá-lo comer ou dormir em sua casa. Então, certa noite ela teve uma visão que lhe assegurou que Agostinho retornaria à fé. A partir desse momento ela ficou perto de seu filho, orando e jejuando por ele. Na verdade, muitas vezes ela ficou muito mais perto do que Agostinho queria.

Quando estava com 29 anos , Agostinho decidiu ir a Roma para ensinar retórica. Mônica estava determinada a ir junto. Uma noite ele disse à mãe que ia para o cais dizer adeus a um amigo. Em vez disso, ele partiu para Roma. Mônica ficou inconsolável quando soube do truque de Agostinho, mas ela ainda o seguia. Ela chegou a Roma apenas para descobrir que ele tinha ido à Milão . Embora a viagem foi difícil, Mônica o perseguiu até Milão.

Em Milão, Agostinho ficou sob a influência do bispo Ambrósio , que também tornou-se diretor espiritual de Mônica. Ela aceitou seu conselho em tudo e teve a humildade de abrir mão de algumas práticas que se tornou uma segunda natureza para ela (ver citação abaixo). Mônica se tornou líder das mulheres devotas em Milão como tinha sido em Tagaste .

Ela continuou suas orações para Agostinho durante seus anos de instrução. Na Páscoa de 387 , Santo Ambrósio batizou Agostinho e vários de seus amigos. Logo depois, seu partido partiu para a África. Embora ninguém tivesse conhecimento disso , Mônica sabia que sua vida estava perto do fim. Ela disse para Agostinho: 'Filho, agora nada neste mundo me dá prazer. Eu não sei o que ainda falta para fazer ou porque eu ainda estou aqui, todas as minhas esperanças neste mundo estão sendo cumpridas agora'. Ela ficou doente logo depois e sofreu gravemente por nove dias antes de sua morte .

Quase tudo o que sabemos sobre a Santa Mônica está nos escritos de Santo Agostinho, em especial o seu Confissões.

Comentário:

Hoje, com pesquisas na Internet, compras por e-mail e crédito imediato, temos pouca paciência para as coisas que levam tempo. Da mesma forma, queremos respostas imediatas às nossas orações. Mônica é um modelo de paciência. Seus longos anos de oração, juntamente com um forte carácter e bem disciplinado, finalmente levaram à conversão de seu rude marido, sua rabugenta sogra e seu filho brilhante, mas rebelde, Agostinho.

Citação:

Quando Mônica se mudou do norte da África com destino a Milão, ela achou que as práticas religiosas eram novas para ela e também que alguns dos seus antigos costumes , como o jejum do sábado, não eram comuns lá. Ela pediu conselhos a S. Ambrósio sobre o que fazer. Sua resposta foi clássica : 'Quando eu estou aqui, eu não jejuo no sábado, mas jejuo quando estou em Roma, faça o mesmo e siga sempre o hábito e a disciplina da Igreja, como é observado na localidade em que você se encontra.'

Padroeira:

Alcoólicos
Mulheres casadas
Mães

Fonte: AmericanCatholic.org
Tradução: Emerson de Oliveira

1 comentários:

Ian Farias disse...

Que ela interceda sempre por nós!
E que seja modelo para as mãe de hoje.

Postar um comentário