Clip bizarro: o axé do "Pó pará com Pó" de Jake

segunda-feira, 17 de janeiro de 2011



Mais um belo (?) exemplar do mundo tosco-bizarro-modernista-decadente que ronda o cristianismo. Agora, eis que se apresenta a tal Jake (deve ser prima do Jack, o Estripador), musa do tal "axé católico" (se é que se pode classificar ou existir isso). Preparem seus estômagos e suas mentes para serem esvaziadas pois, diretamente do submundo o quem-não-tem-nada-melhor-pra-fazer-do-que-estragar-a-fé-católica, esta musa do "rave católico" (outro termo cunhado no Inferno), vem para agradar a quem gosta de futilidade e moda ridícula.

4 comentários:

Paulo Henrique disse...

Acho que ela pelo menos tenta evangelizar, em vez de degredir. Não podemos ignorar pessoas como esta que tentam evangelizar por meio de novos meios. Um exemplo é a banda Rosa de Saron, que abordou de um jeito em que o meio católico não é acostumado, e deu muitos frutos, muitos mesmo. Desde tirar pessoas do alcolismo até fazer pessoas desistirem de suicidar.

Paulo Henrique Lima. Redator do Blog CDs Cristãos. (www.cdscristaos.blogspot.com)

Emerson disse...

Bom, isto não tira a boa intenção. Pena que o fim não justificou o meio. Axé, pagode e outros ritmos podem combinar com quem gosta de superficialidade e futilidade mas no caso esses ritmos bem podem ser apreciados geralmente por pessoas que, precisamente, não gostam de canto gregoriano, missas clássicas e outras boas músicas sacras. Representam o vazio, loucura e estupidez de uma geração que procura vangloriar a si mesma em vez de Deus.

#STJ - Rodrigo disse...

Ultimamente na Igreja esta aparecendo pessoas extremistas que não sabem conviver com as diferenças. Estamos num patamar que precisamos nos unir contra as forças do mundo que nos atacam, ao invés de ficar tentando achar defeitos nos católicos para postar nos blogs. Se estivesse rezando o terço não colocaria esses tipos de posts num blog católico. Já não basta a divisão que Lutero criou? "Onde há união ali está o Espírito." Não gosto de Axé, mas respeito as novas expressões que nascem na Igreja. Cada um com seu carisma para levar mais pessoas ao Reino de Deus. Melhor ouvir Axé dentro da Igreja do que fora dela onde existem atrativos que nos levam a pecar.

Abraços

Emerson disse...

Pois é. Mas isto vem exatamente de turma que não suportam a sã doutrina, a firmeza e a rocha histórica da Igreja. Pergunto para esses fãs da Jake/axé/rave seja lá o escambau que for: entendem do Tesouro da Fé? Sabem profundamente os mistérios e beleza teológico da Igreja? Sabem o que é o Tantum Ergo? Conhecem os Pais da Igreja, etc? Pois é. O problema está no esvaziamento disso, da superficialidade. Ninguém está querendo separar, mas chamar as pessoas para o Belo e o Verdadeiro. Conseguiria imaginar S. Pio de Pietrelcina ou qualquer outro gigante da fé dançando isso?

Postar um comentário